Reivindicações dos funcionários do ITESP são apoiadas pelos vereadores Pedidos foram reafirmados na Sessão Ordinária desta terça-feira

    Funcionários da ITESP (Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo) deflagraram no inicio da semana, segunda-feira dia 02, movimento grevista e estiveram na Câmara Municipal de Araraquara durante a sessão ordinária de terça-feira (03). Através de um de seus interlocutores, Carlos Cesar Rocha da Silva, durante a exposição feita na Tribuna Livre, foi demonstrado aos parlamentares, os aspectos que estão norteando a greve da categoria.

    Os servidores da Associação dos Funcionários da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo “José Gomes da Silva” vêm reivindicando junto aos dirigentes bem como junto aos escalões superiores, que há a necessidade de recomposição dos salários dos servidores aos níveis anteriores às reconhecidas perdas, de valorização do material humano que representa o corpo funcional, de investimento na contratação de mais funcionários, de definição mais clara da política de trabalho da Fundação e de suas metas e objetivos.

    O movimento dos grevistas solicita reposição salarial de 43%, além do ticket refeição de R$ 400,00, 14° salário, entre outras reivindicações. Informado igualmente por Carlos Cesar Rocha da Silva, os funcionários do ITESP estão sem reajuste salarial desde 2001 e com a não ocorrência de acordos, a Associação deve recorrer agora através de medida judicial.

    Vinculado à secretaria de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania, o ITESP é responsável por planejar e executar políticas agrárias e fundiciárias, atuando em assentamentos rurais, em quilombos, promovendo regularizações e capacitações em zonas rurais.

    Segundo assinalado na Tribuna Livre, durante a fala de Carlos Cesar Rocha da Silva, “há fundado receio que o histórico da Fundação Instituto de Terras de São Paulo, desrespeitando seus servidores, não cumprindo os acordos propostos e ignorando as efetivas necessidades de seu corpo funcional, sob o manto da impossibilidade, face às limitações legais impostas a ela, seja um orquestrado desmanche do tema de acesso e às condições dignas de vida na terra e a regularização fundiária no Estado de São Paulo”.

    Ao final da sua fala, Carlos Cesar foi saudado pelos vereadores Carlos Nascimento, Édio Lopes, Márcia Lia, Dr. Lapena, Paulo Maranata e com presidente da Casa de Leis, vereador Ronaldo Napeloso, mantendo a disposição da Câmara Municipal araraquarense em apoiar as reivindicações dos funcionários do ITESP.

    – [download – Moção de Apoio Camaras Municipais ].doc